0

Ambição ou aceitação, de que lado você está?

Eduardo Zugaib

Eduardo Zugaib

Pessoas brilhantes não vivem, trabalham ou respiram para serem ‘boazinhas’, nem
‘tadinhas’, mas sim para serem o melhor que elas podem ser, para
atingir o melhor que elas podem atingir. 

Eduardo Zugaib

Precisamos declarar guerra contra a mediocridade. E ao contrário do que muita gente pensa, mediocridade não está ligada ao dinheiro que se tem no bolso ou à formação acadêmica. Ela está ligada ao estado de espírito, à visão de mundo e à falta de  humildade.

Ser humilde não significa humilhar-se. Significa ter a capacidade de reconhecer as próprias deficiências e trabalhar com afinco para melhorá-las. Não significa aceitar uma condição limitante, mas ter a noção lúcida do ponto em que se encontra, sem deixar de visualizar o ponto onde se quer chegar. Essa segundo ponto tem nome: ambição. E ambição, ao contrário do que a mente medíocre pensa, não tem nada a ver com ganância. A ambição busca a mudança a todo custo e não a qualquer custo, como é o caso da ganância.

Apure sua sensibilidade e olhe ao redor: você vai perceber que existem pessoas simples, tanto brilhantes quanto medíocres. Existem pessoas ricas, tanto brilhantes quanto medíocres. Analfabetos brilhantes e medíocres. Doutores brilhantes e medíocres. Gente saudável brilhante e medíocre. Doentes brilhantes e medíocres.

Decida de qual lado você quer estar, independente do ponto de partida (também chamado de HOJE) e de onde você quer chegar. Isso é ser brilhante e ter ambição. Ou então, apenas aceite a situação atual e nada mais, tentando sempre encontrar guarida na qualificação de ‘bonzinho’. Assim mesmo, no diminutivo, como se isso fosse sinal de caráter: “Fulano é acomodado (e inoperante, e passivo, e insosso, e nulo, e apático, e indiferente, e parado e…), mas é tão bonzinho, né? Tadinho!

O ‘selo de autenticidade’ que coroa a mediocridade é esse ‘tadinho’, dito ao final da frase.

Pessoas brilhantes não vivem, trabalham ou respiram para serem ‘boazinhas’, nem ‘tadinhas’, mas sim para serem o melhor que elas podem ser, para atingir o melhor que elas podem atingir. Tudo isso sem perder a humildade que, reafirmando, está relacionada à capacidade de fazer a leitura correta do seu status atual: quem ela é e onde ela está.

Pessoas com brilho nos olhos não abrem espaço na agenda para reclamação, nem delegam suas possibilidades ao tempo e à tempo. Elas criam as próprias possibilidades a partir da leitura do ponto onde se encontram e da visão do ponto onde querem chegar. Elas sabem que, de gente ‘boazinha’, que passou a vida toda se escondendo na passividade, o inferno está cheio. Tadinhas.

Sobre o autor:

Eduardo Zugaib: é escritor, profissional de comunicação e marketing, professor de pós graduação, palestrante motivacional e comportamental. Ministra treinamento nas áreas de Desenvolvimento Humano e Performance Organizacional.

site: www.eduardozugaib.com.br

e-mail: falecom@eduardozugaib.com.br

rhnydus

Filed in: Eduardo Zugaib Tags: , , ,

Fique por Dentro!

Compartilhe

Related Posts

Comente

Enviar

2006 © 2017 RHevista RH. All rights reserved.