0

Relacionamento é Sobrevivência

Luiz Alberto Borcsik

Muita gente não sabe, mas relacionar-se bem com os colegas de trabalho é um dos principais fatores de sucesso. Não adianta você ser um profissional competente se não sabe trabalhar em equipe e criar harmonia no ambiente de trabalho. Grande parte das demissões nas empresas é causada por dificuldades de relacionamento com os colegas. Isso explica por que pessoas altamente profissionais e competentes no que fazem acabam sendo demitidas de suas empresas e outras, nem tão competentes, permanecem atingindo promoções e melhores oportunidades de carreiras.

Existem diversas causas para a dificuldade nos relacionamentos humanos: rabugice, antipatia, arrogância, timidez, entre outras tantas, mas a causa mais comum é o despreparo. A minoria das pessoas não sabe que cuidar das relações não é apenas uma questão de sociabilidade, mas de progresso profissional. As relações humanas são baseadas numa palavra: comportamento. Essa é uma das competências que há muito tempo vem sendo valorizada nas empresas.

Sabemos que todo ser humano é um misto de razão e emoção. Em determinadas situações se agirmos no estado emocional ou intempestivo, nossa margem de perda é muito grande, e vice-versa. Portanto, use sempre o estado de equilíbrio emocional.

Devemos buscar sempre nas nossas relações interpessoais o máximo de aceitação da outra pessoa, ou seja, não só aquela que vem do ato de dizer “sim senhor”, mecanicamente, mas também daquela que provém da sua vontade. Do contrário geraremos conflitos interpessoais.

Podemos chamar essa forma de se obter o máximo de aceitação de outra pessoa com comprometimento de Motivador Psicológico. Dessa forma, para o relacionamento entre as pessoas ser o mais adequado você de usar, no mínimo, esses três motivadores psicológicos: Auto-Estima, Empatia E Afetividade.  Fáceis de compreender, fáceis de decorar e fáceis de usar.

AUTO-ESTIMA: é gostar de si mesmo, as pessoas também se gostam. Não devemos ferir o outro, isso gera conflito no relacionamento. Devemos elevar a auto-estima do outro com simples gestos, com poucas palavras.

EMPATIA: é colocar-se no lugar do outro e ao compreender o outro teremos grande probabilidade de obter sua aceitação. Ouça, ao ouvir é empático.

AFETIVIDADE: é preocupar-se com o outro, é conversar sabendo ouvir. A pessoa afetiva tem uma maior probabilidade de obter a aceitação do outro.

Sobre o Autor:

Luiz Alberto Borcsik, Consultor, palestrante e professor em cursos de graduação e pós-graduação. Atuou por mais de 30 anos na área de Recursos Humanos em empresas de destaque nacionais e multinacionais, dedicado aos processos de gestão de pessoas, revisão de estruturas e processos organizacionais. Psicólogo e pós-graduado em Gestão de Pessoas.

e-Mail: criare@criarerh.com.br

Face: https://pt-br.facebook.com/CriareRH

Filed in: Luiz Alberto Borcsik Tags: 

Fique por Dentro!

Compartilhe

Related Posts

Comente

Enviar

2006 © 2017 RHevista RH. All rights reserved.