0

Quatro fatores que podem reduzir os custos com plano de saúde empresarial

Dra. Goldete Priszkulnik
Executiva Médica
Especialista em Gestão de Saúde Suplementar e
Docente da Área

Afinal, saúde realmente não tem preço? Tem sim e oferecer uma assistência médica adequada aos colaboradores torna-se cada vez mais desafiador. Os motivos são inúmeros, estima-se que este benefício represente quase 12% das despesas gerais de uma companhia e, para completar, nos últimos anos este custo passou por reajustes bem maiores que a inflação. Caso a empresa não possua uma boa Gestão Estratégica do Risco, com ações bem planejadas para controlar e diminuir a sinistralidade e incentivar os colaboradores a adquirem hábitos saudáveis e com isso melhorarem a qualidade de vida, no aniversário do contrato, os percentuais de reajuste das apólices podem ser muito superiores ao VCMH (variação dos custos médicos hospitalares) e chegar a 40%, 60% ou até mais, dependendo do índice de sinistralidade.

Depois do salário, o plano de saúde é o benefício mais valorizado pelos colaboradores. Para as empresas, a manutenção da saúde dos seus colaboradores pode resultar em retenção, diminuição do absenteísmo e ainda, aumento de produtividade. E como falar em redução de custos com plano de saúde sem que o serviço ofertado perca em qualidade? Listamos aqui algumas dicas fundamentais:

Gestão Estratégica do Risco

Apenas trocar de fornecedor em busca de valores menores não basta. É primordial buscar informações mais detalhadas sobre os funcionários, que servirão de base para ações de promoção da saúde e prevenção de doenças que vão desde o acompanhamento dos pacientes com doenças crônicas não transmissíveis, as chamadas DCNT, ações antitabagismo, aconselhamento nutricional, blitz postural, vacinação, entre outros.

Armazenar e gerenciar as informações sobre a utilização do plano, garantindo mais eficiência na administração de grupos de risco, programas de medicina preventiva e no controle de custos são diferencias que uma corretora especializada deve oferecer.

Programar a copartipação dos funcionários no plano

Nesse modelo, o beneficiário arca com um percentual determinado do custo nas consultas eletivas, exames e outros procedimentos eletivos pré-determinados, diminuindo assim o valor da mensalidade. Esta medida, chamada de fator moderador, acaba incentivando os colaboradores ao uso consciente do benefício saúde.

Estimule o uso consciente do benefício

É fundamental que a empresa seja transparente e exponha aos funcionários a importância dos benefícios e o impacto no custo decorrente do uso indevido. O colaborador fica mais consciente do benefício recebido, a utilização é gerenciada o que pode proporcionar redução do absenteísmo.

Outro ponto importante é com relação aos exames de rotina. A grande maioria desses exames possui prazo prolongado de validade. Desta forma, em caso de nova consulta é recomendável orientar os colaboradores a apresentar os exames anteriormente realizados, pois nem sempre haverá necessidade de repeti-los.

Segunda opinião médica

A segunda opinião médica e a junta médica são mecanismos regulamentados pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e são muito eficientes para dirimir dúvidas em relação aos procedimentos de alto custo que envolvam materiais, principalmente próteses e medicamentos de alto custo. A junta médica deve ser incentivada em casos de alta complexidade para que o paciente tenha a certeza de que terá a melhor assistência, ao melhor custo.

Para a Dra. Goldete Priszkulnik executiva médica, especialista em Gestão de Saúde Suplementar e docente da área, essas são apenas algumas das medidas capazes de ajudar a gerenciar e reduzir os custos médicos hospitalares das empresas. Conhecer a saúde dos colaboradores e seus dependentes, incentivando a prevenção e a promoção da saúde é uma das melhores alternativas no gerenciamento da apólice.

Sobre a Autora:

Fabiana Cardozo dos Santos é pós graduada em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas ( FGV), possui mais de 13 anos de vivência no mercado atuando como executiva de marketing e vendas em empresas como: Microsoft, Dimep Sistemas e Editora Trip.  Hoje é sócia e especialista em Gestão Estratégica de Risco em Saúde na Faro Corretora de Seguros.

Serviço:

Faro firmou parceria com as principais seguradoras do mercado para oferecer a melhor opção em seguros, de todos os ramos. Com profissionais preparados para entender as necessidades dos clientes e prestar toda a assessoria necessária, a Faro é mais que uma corretora, é uma consultoria em seguros que irá te ajudar a contratar o serviço adequado ao seu perfil e com o melhor custo benefício.

Filed in: Fabiana Cardozo dos Santos Tags: , , , ,

Fique por Dentro!

Compartilhe

Related Posts

Comente

Enviar

2006 © 2017 RHevista RH. All rights reserved.