0

Colaborar, compartilhar e confiar

Semadar Marques

A economia do compartilhamento está revolucionando o modo como nos comportamos e se opondo aos antigos paradigmas alicerçados exclusivamente no lucro. Ganhar dinheiro, única e exclusivamente, passou a ser algo defasado, dando espaço a uma mentalidade nova que, assistida pela enxurrada de novas tecnologias e acesso a todo tipo de informação, otimiza e compartilha recursos antes estagnados e multiplica as oportunidades de conexão entre pessoas. Ter acesso aos bens e usufruir de experiências sem a necessidade de adquirir mais, com gastos financeiros enxutos, buscando parcerias em negociações onde todos ganham é a temática central deste novo momento, que está sacudindo nossa forma de pensar e elevando a sustentabilidade a um novo patamar.

Há uma transição clara onde estamos aprendendo a confiar em plataformas que abrigam ideias de pessoas comuns e nos aproximando de produtos e serviços baseado na reputação legítima que eles oferecem. Ou você não corre para a internet para verificar o que estão falando de algo antes de comprá-lo? E ao mesmo tempo, grandes instituições que conquistaram confiabilidade com seus consumidores por meio de uma imagem forjada superficialmente e não proporcional ao que praticam na realidade estão pagando um alto preço por isso. Os atuais escândalos brasileiros envolvendo gigantes da indústria da carne demonstram bem esta fase. Sim, estamos migrando para uma era em que a reputação será seu ativo mais valioso. E não valerá somente para as empresas. Todo mundo irá entrar nesta barca. Quer ver?

Até uns cinco anos atrás, pegar carona no carro que não fosse um táxi ou colocar dentro da sua casa um completo desconhecido era algo totalmente assustador e inviável. Hoje, encontrar um anfitrião do Airbnb ou um amigo que esteja trabalhando no Uber tornou-se comum e está propiciando novos encontros e interações baseadas no respeito e na confiança, já que para se construir uma boa reputação dentro desses espaços é preciso dar o melhor de si, sendo gentil e respeitando as regras.

É a tecnologia propiciando a aproximação entre pessoas que nunca se viram, com a oportunidade de criar uma troca de experiências e saberes que são bem mais interessantes que simples interações rasas, meramente baseadas no ganho financeiro. E a reputação e o respeito verdadeiros que você inspirar irá definir a procura por seus serviços.  Não há mais a necessidade de ter bens para parecer importante, e sim colaborar genuinamente para interagir e somar nos espaços em que se atua de forma criativa. É isso que irá lhe diferenciar nessa nova economia.

Estamos aprendendo a compartilhar nossos bens parados na garagem, pedir e pegar coisas emprestadas sem precisar comprar algo que seria usado uma ou duas vezes no máximo, aprendendo e distribuindo o que sabemos com facilidade. E para ser eficiente e acompanhar a velocidade com que estas mudanças estão ocorrendo, estar conectado e interagindo em comunidade, baseado em princípios honestos, é condição sine qua non.

O conceito de comunidade, proximidade e confiança está sendo resgatado e essa é uma revolução de valores onde será preciso falar e viver com ética para sobressair-se. Na era do propósito, as atitudes guiadas pelos valores que transmitam credibilidade é o maior bem, e quem não trabalhar com ética e humanidade irá ficar para trás. Ainda bem.

Sobre a Autora:

SEMADAR MARQUES é especialista em Empatia, Liderança Colaborativa, Propósito de Vida e Inteligência Emocional. Através de suas palestras, conferências e workshops sobre esses temas, Semadar busca inspirar as pessoas a irem atrás do que lhes faz plenamente felizes.

Site: www.semadarmarques.com.br

Filed in: Semadar Marques Tags: 

Fique por Dentro!

Compartilhe

Related Posts

Comente

Enviar

2006 © 2017 RHevista RH. All rights reserved.