82

Vampiros Organizacionais

Rita Alonso

Rita Alonso

Fico muito feliz sempre que encontro pessoas com garra e persistência. Hoje em dia quando faço uma seleção de emprego levo muito mais em conta a característica agregadora do candidato do que o seu conhecimento e inteligência. Porque é importante termos nas empresas pessoas com espírito de equipe e não de “EU-quipe”. Pensando assim levo em conta coisas como flexibilidade, percepção, adaptabilidade, iniciativa, criatividade, empatia, etc.

A escolha deste perfil deve-se a tentativa de melhorar o relacionamento inter e intragrupal do corpo de funcionários da empresa. Porque é importante o comportamento para melhoria do clima empresarial, e o que mais encontramos por aí são os “vampiros organizacionais”, aqueles pessimistas que sugam o sangue da gente, os que têm sempre uma palavra pra botar alguém pra baixo, enfim… a maçã podre que contamina todo o cesto.

E, quando a gente menos espera já foi mordido por um vampiro deste e nos transformamos em um também… Sabe, quando a gente está com um problema de saúde, tipo uma dor no braço? Pois bem, dói e vamos ao médico… Mas quando a doença é mental, tipo “vampirismo”, aí fica difícil… porque não se tem a consciência que precisa ser tratada. Quando nos damos conta, já é tarde, já nos tornamos uma pessoa amarga, pessimista, achamos que nada vai dar certo, que tudo na empresa é ruim, o chefe é péssimo, o salário é baixo, os colegas são uns chatos, até a comida do refeitório da empresa costuma ser amarga!!!

É preciso tomar muito cuidado para que pessoas negativistas não nos influenciem, não permitindo que elas decidam como deva ser nosso comportamento ou nossa maneira de pensar e agir… isso me faz lembrar da história do sujeito que todo o dia ao comprar seu jornal dava bom-dia ao jornaleiro e este não respondia; um amigo lhe perguntou, então, porque não desistia de cumprimentar o sujeito e ele respondeu: – Porque não quero que ELE decida como eu devo agir… O dia que eu parar de cumprimentá-lo será ele quem ganhou a batalha do comportamento.

Abraços e fiquem bem…

 

Sobre a Autora:

Rita Alonso: Professora de Recursos Humanos da Universidade Estácio de Sá há 20 anos. Instrutora dos Cursos do SEBRAE, SENAC e SESC. Funcionária há 25 anos da Riotur/Controladoria Geral do Município. Desenvolve trabalhos de consultoria organizacional, ministra treinamentos e palestras motivacionais.

site: www.ritaalonso.com.br

e-mail: ritaalonso@ritaalonso.com.br

Filed in: Agregar Pessoas, Rita Alonso Tags: , , ,

Fique por Dentro!

Compartilhe

Related Posts

82 Comentários em "Vampiros Organizacionais"

  1. Su Florêncio disse:

    Rita, gostei demais do texto, pois sempre iremos nos deparar com esses vampiros, mas nem sempre temos a conciência de que estamos sendo “sugados por esses vampiros”…Moro em FOR e me vi nessa situação “sendo vampirizada” por mal humor, pessimismo na minha equipe e isso me fazia chegar em casa a noite “consumida” quando resolvi passar o feriado do dia 7 de setembro em São Paulo, peguei um voo noturno que atrasou e foi nesse atraso que percebi muitas coisas, ficando ainda mais claro no restante da viagem, a bem da verdade a viagem foi um divisor de aguas, voltei com outra visão de tudo…ou seja muitas vezes precisamos nos afastar, sair do meio do grupo, para ver melhor….beijo grande

  2. Maria José Porte Peres disse:

    Gostei da matéria, Rita…interesante. O pior que existem mesmo, em todos os lugares. Já me conformei e aprendi a lidar com os vampiros do dia-a-dia.

  3. Idalina Primo Duarte disse:

    Olá Rita, é um prazer enorme poder comentar sobre seu texto. Ele me fez refletir e ter certeza de que, se não estivermos atentos e otimistas quanto as nossas demandas, não apenas seremos contaminados pelo vampirismo mas também não teremos forças para lutarmos contra ele. Beijos, Idalina.

  4. Cristiane Carla Ximenez disse:

    Olá Rita, extremamente obejtivo e inteligente.

  5. Delma Gonçalves disse:

    Prof. Rita, como sempre você extrapola e nos encanta com sua maneira simples e objetiva ao tratar assunto tão complexo. Parabéns e obrigada por nos agraciar e fazer refletir, pois sempre percebemos nos outros este vampirismo. E nós? Será que alguém do nosso rol não se sente vampirizado? Confesso que estou a refletir e levarei à mesa redondo este seu artigo e seus devidos créditos para discussão. Você me autoriza? Sucesso, querida professora.

  6. Pricila Almeida disse:

    Olá Rita! Adorei o artigo, realmente o mundo corporativo está cheio destes vampiros o jeito é fazer uma seleção assertiva e procurar resistir as constantes picadas!!

  7. Milton Triveloni disse:

    Profa. Rita, Parabens pelo artigo. Muito real, lúcido e pertinete nos dias de hoje!

  8. Reinaldo Schumann disse:

    Querida Professora

    Como é possível descrever com esta escrita fina, de maneira tão afável, assunto tão desagradável? Simples basta ser Rita Alonso.

    Devo, contudo, acrescer dois pontos e lembrar que muitas vezes estes vampiros são incapazes de enxergar que são assim, que possuem esta nefasta qualidade, não o fazem por mal, e que, portanto, cabe a ti se defender. Estas pessoas não são um privilégio das empresas, também estão em nossas famílias entre nossos amigos, nas igrejas e escolas, e por mais que venham a querer nosso sucesso, não são capazes ou não veem o quanto prejudicam pessoas que amam ou o grupo a que pertencem.

    Por outro lado, muitas vezes nos esquecemos de que o vampiro não precisa necessariamente estar entre os nossos colegas de mesmo nível, este é um mal comum ao jardineiro e ao faxineiro, mais é também muito frequente aos mais altos cargos da empresa, deve-se então estender a vigilância a todos os momentos de nossa vida e, principalmente quando exercemos cargos de gestão, e somos responsáveis sobre o sucesso e união de um grupo.

    Abraços,

  9. Jair Campos disse:

    Passando para nada mais que justo de parabenizar pelo texto, simplismente otimo.

    Espero ler mais em breve

  10. jorge alves da silva disse:

    Olá, Professora Rita, acho que apessoa que me contratou segue a sua linha de raciocínio , pois continuo batalhando na mesma empresa e muitos ja se foram por diversos motivos inclusive o vampirismo.
    Rita parabéns pelos seus textos e que Deus sempre te ilumine,para que vc possa estar iluminando nossas mentes. Abraços jorge alves

  11. Lucio Santos disse:

    Da.Rita,
    Deseja minha opinião? Bom texto, algumas colocações apropriadas e bem redigidas. Ponto negativo generalização incabível e incorreta a meu ver. Esclareço:
    Se voce fosse minha recrutadora de pessoal, caso você “levasse muito mais em conta a característica agregadora do candidato do que o seu conhecimento e inteligência” eu sentiria muito mas ja estaria demitda.
    Na minha equipe titular, time da geração Y, devo recrutar os melhores em sua atividade e não os bonzinhos, agregadores e bem aparecidos. Imagine num time profissional, por exemplo, num ramo esportivo qualquer, você deixasse fora um craque em troca de um “promotor-de-bem-estar do grupo. Desastre total, Outro exemplo se aplicaria também num Laboratório de Pesquisas Avançadas de Produtos. Evidentemente exigiria dos meus craques o mesmo respeito que eles gostariam de ter da equipe.
    A historia dos Vampiros, como no próprio exemplo que você citou do comprador de jornal, demonstra que eles só existem e fazem efeito na cabeça dos fracos incomodados. O cliente continua comprando o jornal – satisfazendo sua necessidade – e nem se incomoda com a falta de polidez do jornaleiro, porem incomodou ao “fraco” amigo que resolveu se tocar.
    Sorry, você queria opinião, aí está.
    Lucio Santos (lucio@jetcell.com.br)
    Empresário em TI

  12. Osni Gomes disse:

    Prazada Rita Alonso

    Muito oportuno o seu artigo. Também adoto esta linha de pensamento em meus trabalhos.

    Parabéns!!!

    Osni Gomes
    Consultor em Desenvolvimento Corporativo

  13. Jex disse:

    Eu também amo os textos da professora Rita Alonso e me identifico muito com eles. 

  14. Magda Guerato disse:

    Rita gostei muito, realmente necessitamos nos vacinar contra pessimismo, contra fofoca e contra energias negativas, existem muitos vampiros, principalmente aqueles que levam nossas energias e nos deixam num cansaço e num desanimo só, o antidoto é trabalhar com alegria bom humor e muitoooo AMOR no que se faz.

  15. Míriam Martins disse:

    Profª Rita Alonso, fantástico o texto, infelizmente é realmente isso que acontece nas organizações, temos muitos vampiros organizacionais a solta por ai. 

    Bjus

  16. Dariane disse:

    Olá Rita!
    Quero te parabenizar pelos belíssimos posts. gostaria de saber se posso colocar o seu post no meu blog, http://www.fashionandmanagement.blogspot.com
    .
    Grande abraço, e sucesso!

  17. Mônica disse:

    Olá, Rita, espero q estejas bem.
    Gostei muito do texto, pois lidamos com “vampirismo empresarial” tdos os dias.
    Achei pertinente a sua sugestão de como não nos permiti sermos “mordidos” pelos “vampiros”.
    PARABÉNS!
    Um forte abraço

  18. Carlos Mota disse:

    Maravilhoso texto muito bom mesmo, serve de aprendizado para os que não têm pespectiva adiante.

  19. Iara Campos disse:

    FATO VERDADEIRO ADOREI

  20. este artigo é sem duvidas ótimo e digo mais esta em evidencia ou seja o assunto do momento nas grandes organizacoes é justamente este. e isso se deve tambem ao processo de seleçao. fico feliz em ler coisas deste tipo totalmente claras e objetivas parabens dona rita .

  21. raquel de souza disse:

    Muito oportuno seu artigo, pois cada vez mais percebemos que vivenciamos diariamente esta experiência, seja no trabalho ou em nossas relações pessoais. É bem verdade que muitas decisões institucionais criam ambientes desfavoráveis e nos induzem ao desânimo, porém é importante estarmos atentos e conscientes da realidade para não se deixar contaminar. Somente reclamar, sem expor nossas opiniões não melhorará em nada o ambiente de trabalho. Se realmente não estivermos satisfeitos e nada pudermos fazer, a solução é buscar alternativas que nos possibilitem vislumbrar novos horizontes.

  22. José Luiz disse:

    Oi Rita, seu texto é bastante oportuno. Realmente não podemos deixar que pessoas negativistas nos influenciem. Devemos sim, mostrar-lhes o lado positivo das coisas, para que elas possam acordar e assim visualizar o lado que as transformará em pessoas empreendedoras, ativas e contagiadoras de ambientes.

  23. Norma disse:

    Sempre leio os artigos desta autora, mas está difícil achá-los aqui no site…

  24. Raymundo Florêncio Pantoja Filho disse:

    Prezada Rita Alonso, boa noite !!! Li o seu artigo e gostei muito.
    Pelo que entendi, você busca no candidato a Inteligência Emocional que ele foi capaz de desenvolver e considero isto muito importante mas senti falta de uma coisinha que considero também muito importante. Qual a afinidade do candidato com os Valores, Princípios, Missão, Visão e Política de Qualidade da empresa na qual ele pretende entrar, afinal, depois que ele estver empregado ele terá que dedicar mais tempo para a empresa do que poderá dedicar à sua vida particular.
    Acredito que um profissional com características de Proatividade, que tenha o Objetivo na Mente e que seja capaz de Fazer Primeiro o Mais Importante, com o Potencial de Conhecimento adequado buscará saber estas características da empresa e, em caso de não compatibilidade com as suas própias características, poderá aceitar o emprego por uma questão de necessidade para depois encontrar um melhor. Acredito que o investimento de uma empresa em um novo colaborador seja alto e por isto também acredito que levar em consideração as características acima citadas, da empresa e do candidato, seja um ponto importante para a avaliação da contratação.

  25. José Carlos Ferreira disse:

    Muito bom texto.
    Em todas as empresas por onde passei, fosse como funcionário ou como consultor, encontrei algum (ou alguns) desses “espécimes”…
    Mas o mais trágico é quando este tipo de conduta faz parte da rotina ou até da cultura da empresa, o que torna o “combate a esta praga” praticamente impossível!
    Devemos nos policiar no sentido de detactar em nós mesmos qualquer sintoma desta “doença” e buscar as motivações corretas, para o nosso progresso profissional e o bem estar do ambiente de trabalho.
    Parabéns Rita, ótimo texto!

  26. Regina Castelar disse:

    Olá Rita, o texto é realmente muito bom! Parabéns !

  27. João Henrique disse:

    Professora… Muito bom o texto!! E me fez reflitir com a minha situação que tem muito a ver com isso. Temos mesmo que ficar sempre atentos com este tipo de pessoas. Obrigado pelas informações. Continue com a RHevista.

  28. Paulo Amim disse:

    Este trecho escrito por você, até me pareceu muito familiar. Durante longos 3 anos vivi este processo na pele. A empresa onde estive é exatamente “Vampira”, e pior ainda a direção sugava diariamente o sangue e suor dos seus colaboradores. Como exemplo digo a você que durante todos esse tempo, cruzava o caminho com a diretoria, e mal nos cumprimentavão. As queixas pelos corredores, por esta falta de animosidade do ambiente, se duplicavam diariamente. Então, eu vejo este seu comentário, uma verdadeira análise do ambiente apocaliptico de certas empresas. Onde a preocupação em manter uma desordem social interna, sim desordem social, porque não sabemos o que pode acontecer nos próximos minutos. Quero dizer, devo cumprimentar, calar a boca ou devo acreditar que um “Bom dia”, pode um dia ser respeitado e pode ecoar como sinais de anjos. Anjos do bem, porque de “Vampiros bons”, somente na TV.

  29. Elizabete disse:

    Gostei muito do texto por que infelizmente nas empresas sempre tem esse tipo de vampiros,mas a verdade é que não devemos deixar nos abater por eles.Devemos sempre caminhar de cabeça erguida sabendo os nossos objetivos e onde queremos chegar!Um abraço e ficas com Deus!

  30. Tatiane Leal disse:

    Olá , Rita! Como lhe disse , este texto postado é interessante e de um conteúdo importante em nosso dia- a- dia . Infelizmente existem pessoas que só sentem e olham pelo lado “escuro” da vida em todas as áreas. No campo profissional os “Vamipiros” estão á solta e nos sugando cada vez mais , mas isso se nós permitimos, não vamos deixar ser seduzidos por “Vampiros” e ser “Mordidos” por eles , isso requer prática , observação e autenticidade. O trabalho em equipe é o seu estado de espírito de bem estar consigo mesmos , da flexibilidade para as mudanças , sempre com um sorriso sincero na boca e a lingua falada sempre com positivismo , a equipe precisa se conciêntizar de que, como a palavra por si mesmo diz: EQUIPE , é um por todos e todos por um e assim sendo está formada uma equipe de SUCESSO. Parabéns pelo texto elaborado que nos faz refletir sobre o mesmo. E da história linda que colocou no fim do texto é real é assim que um grande vencedor sem deixar sua humildade está no topo e sem pisar e “Vampirizar” ninguém , como diz a história : não pegue o presente ruim que lhe oferecem e sim deixe com a própria pessoa e siga sempre feliz , grato , seguindo sempre para o bem de todos e isso faz bem para si mesmo e assim transbordando para as pessoas que estão ao seu redor. Em uma empresa , no trabalho todos precisam de todos , isso não só no trabalho como na vida , desde o Dono aos empregados que ali estão para contribuir para o crescimento da empresa e com esse crescimento todos irão crescer também …. Beijos e mais uma vez parabéns pelo belo texto postado aqui .

    Sou a Tatiane Leal do Facebook e como disse não iria te esqueçer querida Rita …. lembra ??? rsrsrsr … beijos você é uma grande profissional . 😉

  31. João Beauclair disse:

    E em todo este processo, falta-nos mais formação humanística Rita, que leve a criação de novos modelos de vida, onde haja amorosidade e coperação! Excelente seu artigo, aliás, gosto muito do que escreves.
    Um abraço.

  32. Vanderlei Correa disse:

    Muito bom seu artigo, Rita. Aproveitando, existem empresas e gestores que sao verdadeiros vampiros organizacionais, adotando atitudes que são ilegais, imorais e absurdamente nocivas para seus funcionários.

Comente

Enviar

2006 © 2017 RHevista RH. All rights reserved.