Data: 16 / 04 / 2014     -     Horário: 22:48

Você sabe a diferença entre PBM e Convenio Farmácia?

Publicado por - sexta-feira 1 de julho de 2011 - às 0:01
Sheila Hojda

Sheila Hojda

Como consultora de programas de saúde, sou chamada pelos RHs para tratar de beneficio farmácia, mas não raramente me deparo com questionamentos e variáveis. Resolvi então colocar minha experiência nestas linhas.

Sendo mais clara, percebo que a maior parte das empresas não sabe a diferença entre convenio e programa de beneficio farmácia. Freqüentemente os profissionais responsáveis entendem o benefício farmácia como o desconto em folha de medicamentos que através de um cartão de rede, poderão ser adquiridos com descontos especiais. Portanto ao colocar este cartão, nas mãos do funcionário ele estará com o problema resolvido. Será?

Quando a empresa esta realmente interessada em fazer a gestão de um programa, pode colher ótimos frutos. Hoje em dia as empresas de PBM (Pharmaceutical Benefit Management ou Programa de Beneficio Farmacêutico), oferecem ferramentas para o desenvolvimento de um desenho personalizado e disponibilizam arquivos detalhados de utilização.

NA PBM a empresa pode decidir se a compra de todos os medicamentos será condicionada a apresentação de receita médica, pode estabelecer níveis diferentes de subsidio por cargo, salário  ou filial e  para aqueles que fazem uso contínuo ou precisam adquirir medicamentos de alto custo. Todo este cuidado faz o funcionário se sentir assistido e amparado pela empresa.

Um programa bem estruturado, não estimula a compra e sim auxilia o funcionário a ter acesso aos medicamentos em caso de real necessidade, complementando a assistência oferecida pelo plano de saúde.

A GIB é especialista neste tipo de gestão e transforma os dados em indicadores de saúde para a empresa. Os indicadores mostram quem são os doentes crônicos, qual a utilização de certos medicamentos, que demonstram as patologias de maior freqüência no grupo e mostram o escape nos tratamentos, ou seja, se a freqüência do tratamento esta sendo cumprida. Com estas valiosas informações a empresa pode melhorar o desempenho do  seu programa de saúde, potencializar seus recursos financeiros e com a orientação correta evitar alguns sinistros em seu plano de saúde, trazendo assim resultados mais sólidos.

Porém, sempre vale a pena para a empresa contratar uma PBM? Não.

Se a empresa tem como objetivo somente oferecer um financiamento de medicamentos de baixo custo  para seu grupo, não tem subsidio e não controla o consumo, este não é o caso de contratação de uma PBM, além disso diferente do convenio farmácia este benefício tem custo fixo por mês. Mas cuidado você pode estar estimulando a automedicação e com isso gerando novos problemas de saúde para seus funcionários.


Sobre Autora:

Sheila Hojda é Socia-Diretora da GIB e atua há 15 anos na área de relacionamento e gestão de risco em consultoria em benefícios.

site: www.gibbeneficios.com.br

e-mail: sheila@gibbeneficios.com.br

SocialTwist Tell-a-Friend

Conteúdo Relacionado

1 Comentário

  1. Magna Vida
    14 julho, 2011, 11:02

    Parabéns pelo artigo
    muito elucidativo.

Deixe um comentário